• pt-br
  • en
o parque
sobre o parnaso

O Parque Nacional da Serra dos Órgãos foi criado em 1939 para proteger a excepcional paisagem e a biodiversidade deste trecho da Serra do Mar na Região Serrana do Rio de Janeiro. São 20.024 hectares protegidos nos municípios de Teresópolis, Petrópolis, Magé e Guapimirim.

O Parque abriga mais de 2.800 espécies de plantas catalogadas pela ciência, 462 espécies de aves, 105 de mamíferos, 103 de anfíbios e 83 de répteis, incluindo 130 animais ameaçados de extinção e muitas espécies endêmicas (que só ocorrem neste local).

As primeiras ocupações conhecidas se deram na área mais baixa do Parque, hoje Sede Guapimirim. O casarão que abriga o Centro de Visitantes Museu Von Martius, na Sede Guapimirim do PARNASO, é remanescente da antiga Fazenda da Barreira, onde, por volta de 1844, iniciou-se a aclimatação e o cultivo da quina Cinchona calisaya ou quina, de onde extrai-se o quinino, composto medicinal fundamental para o tratamento da malária na época. O nome da fazenda remonta a 1845, quando foi implantado posto de cobrança de impostos na trilha que subia a Serra dos Órgãos, a barreira da Serra do Couto. Até hoje a localidade é conhecida como Barreira.

Além do casarão, é possível identificar diversas estruturas em ruínas, provavelmente de terraços da antiga fazenda. Estudos preliminares de equipe do Museu Nacional-UFRJ encontraram muros e fundações que parecem ter pertencido à estrutura de contenção ou de secagem da quina ou ainda ao reservatório de água.

A Capela de Nossa Senhora da Conceição do Soberbo, localizada na Sede Guapimirim representa significativo remanescente histórico-cultural do período de ocupação colonial do recôncavo da Guanabara, da expansão em direção aos caminhos das Minas Gerais.

 

  • Clima

    O clima no Parque é tropical superúmido (com 80 a 90% de umidade relativa do ar), com média anual que varia de 13º a 23º C (atingindo valores de 38ºC a 5ºC negativos nas partes mais altas) e variação pluviométrica de 1.700 a 3.600mm, com concentração de chuvas no verão (dezembro a março) e período de seca no inverno (junho a agosto).

  • Fauna

    Vivem no parque 462 espécies de aves, 105 de mamíferos, 102 de anfíbios, 81 de répteis, 6 de peixes e mais de 500 de invertebrados. O PARNASO protege 120 espécies de animais ameaçados de extinção.

  • Flora

    O PARNASO protege importante remanescente de Mata Atlântica, que apresenta quatro fisionomias vegetais distintas, de acordo com a altitude: floresta submontana, floresta montana, floresta altomontana e campos de altitude.

Galeria
Fotografias do Parque